Rua Cabo Aylson Simões, 395

Vila Velha, ES 29,100-320

contato@aquelasuaviagem.com.br

CNPJ: 18.032.352 / 0001- 94

  • facebook
  • Twitter Clean

November 8, 2017

September 2, 2017

August 31, 2017

July 21, 2017

Please reload

Posts Recentes

Vale da Cerveja

November 8, 2017

1/10
Please reload

Posts Em Destaque

Depoimentos de clientes: Gabriella e Leandro

Viagem dos sonhos em Paris

 

Inesquecível... Alegre... Romântica... Divertida... Acima de todas as expectativas!!! Difícil mesmo traduzir em palavras o que foi esse passeio. O melhor de nossas vidas. A compreensão de Paris, a organização, a simpatia e o engajamento do casal Amaline e Pablo certamente foram os grandes diferenciais. Não que Paris não seja linda e magnífica por si só. Mas, exatamente por ter tantos encantos, essa cidade merece ser explorada ao máximo, o que, afirmamos, sem temor de errar, não teria sido possível sem a assistência desse casal maravilhoso.

 

Tentaremos expor aqui alguns dos pontos que mais nos encantaram no passeio, tendo em vista ser impossível traduzir tudo o que aconteceu por lá. Não o faremos em ordem cronológica. Será um texto solto, um pouco desordenado, relax, como alguém que passa férias em Paris! Não é mera coincidência!

 

Primeiramente é importante dizer que foi nossa primeira viagem à Europa e que Paris (pasmem!) não era nossa primeira opção. Como não falamos nada da língua local – eu (Leandro) falo um pouquinho de Inglês – tínhamos medo de nos arriscarmos em Paris, já que se comenta muito do temperamento um tanto “fechado” e “frio” do povo francês. Porém, ao conhecer o projeto de Aquela Sua Viagem, resolvemos nos atirar nesse sonho.

 

Algumas situações contribuíram para nossa mudança de posição. O casal Pablo e Amaline falam francês fluentemente e moraram na França, tendo todo o conhecimento da cidade – sistema de transporte (excelente por sinal), restaurantes, cafés, bares, pontos turísticos, pontos não tão turísticos e igualmente maravilhosos (que só os franceses conhecem), passeios, etc. Mas outro diferencial, demonstrado por eles e comprovado durante a viagem, nos fez “bater o martelo”: eles conhecem a cultura francesa, o povo francês, sabendo lidar com sua peculiaridades, amenizando nosso “choque cultural”, o que  possibilitou que pudéssemos relaxar antes e durante a viagem, já que eles administram todas as nossas necessidades com muita atenção e carinho, revelando muito prazer naquilo que faziam (difícil perceber que estavam a trabalho, tamanha a satisfação em executar o que se propuseram).

 

 

 

E executaram! Com esmero! Legítimo casal “personal traveler”. Mais do que meros guias 24 horas, muito mais do que isso. Foram companhias, suaves e, ao mesmo tempo, presentes, em todos os momentos desses 10 dias de sonhos.

 

E assim ocorreu nossa guinada de posição: do temor ao amor à Paris! De fato, como diz um amigo meu, “Ninguém ama aquilo que não conhece”. E conhecer Paris, em sua intimidade, como um parisiense, pelas mãos de quem morou e tem uma história lá, nos tornou apaixonados pela cidade.

 

 

 

Logo de início percebemos que o passeio seria ímpar. O transfer já nos esperava no aeroporto. O motorista era um brasileiro, erradicado e feliz em Paris há anos, super simpático e divertido, que foi nos contando sobre a cidade e nos envolvendo no clima parisiense. Passada rápida no hotel e partiu Torre Eiffel (a lindona da mamãe, como diz a Amaline). Sair do Brasil, pegar um metrô em Paris e ver aquele monumento foi uma sensação incrível, indescritível. A Torre é mais do que um simples arranjado de ferro. Você pode vê-la de vários pontos da cidade. Existem jardins e barraquinhas de comida (crepe foi a pedida fantástica). Fomos lá vários dias, para passear a pé, de bicicleta (imperdível) ou simplesmente contemplá-la e registrar mais uma das dezenas de fotos que por lá tiramos. Em um dos dias nós a subimos. A subida na torre é espetacular. Fomos até o último andar, de onde você tem uma vista de Paris de tirar o fôlego.

 

Outro ponto marcante da viagem foram os restaurantes selecionados. O que foi aquilo? Nunca tinha ido em nada parecido. O Les Ombres, localizado no terraço de um prédio ao lado da Torre Eiffel, conta com pratos especialíssimos, legítima culinária francesa, com entradas, prato principal e sobremesa. Comida deliciosa! Muito diferente, peculiar e gostosa. A sobremesa de framboesa ficou na lembrança para sempre. Mas impossível mesmo foi não se emocionar ao olhar para o lado e ver, grandiosa e imponente, piscando, como se à mesa sentasse conosco, a Torre. Fotos para posteridade? Inevitável chavão.

 

Também na linha “requinte puro”, jantamos, em outra noite, no luxuoso Restaurante Le Ciel de Paris, que fica no último andar (simplesmente no 56º andar) da Tour Montparnasse. Aqui, ainda mais primor no atendimento, ambiente (decoração impecável) e culinária. Nesse restaurante o romance imperou, pois sentamos em mesas individualizadas por casal, ao lado da janela, de onde contemplávamos, como sempre, a Torre Eiffel, brindando com espumante e vinho. Imaginem a cena: estar com quem você ama, olhando a torre (piscando) por uma janela de um “Restaurante Boutique” em Paris e apreciando um vinho. Aí foi só renovar os votos de amor e ser feliz!

 

Mas esse sonho de viagem transpassou a linha “luxo”. Afinal, Paris é uma festa! Sem perder a elegância, piquenicar nos lindos parques parisienses foi igualmente marcante. A passada nos supermercados ou padarias é, por si só, um grande programa. Do sofisticado Department Store Le Bon Marché não dá vontade de sair, tamanha a variedade e qualidade das comidas e bebidas. Nos outros supermercados, mais populares (um pecado usar essa palavra pra relacionar os supermercados de lá), também encontramos excelente qualidade e ótimo preço. Champagne, vinhos, queijos, chocolates e sucos naturais. Frutas (morangos, framboesas, uvas, pêssegos, nectarinas...) maravilhosamente conservadas pelo tempo ameno e cuidado dos lojistas. Sanduíches em baguetes e croissant cuidadosamente preparados. Sem falar nos pães, verdadeiro tesouro, tudo aquilo e um pouco, ou muito mais, do que ouvimos falar sobre os pães franceses (Pain Au Chocolat é pra comer todos os dias). Presunto de Parma, imensas variedades de queijos deliciosos (brie, mussarela de búfala, camembert, ) que custam uma fortuna no Brasil, totalmente acessíveis por lá. Comidas prontas de qualidade e com muita variedade. Sem falar nos doces espetaculares (vá no macarron e não te arrependerás).

 

Com tanta opção e qualidade, foi só comprar as bebidas e comidas e partir pro Parque Jardim de Luxemburgo, para fazer aquele brinde em meio ao jardim, vendo as crianças brincando livremente no parque, os jovens e adultos passeando e fazendo suas atividades físicas ao ar livre. Coisa gostosa ficar no sol com blusa de frio, sem sentir frio nem calor. Ou deitar embaixo de uma árvore deixando as folhas caírem sobre o corpo, após degustar todas as delícias adquiridas. E o outro piquenique, imaginem o local: às margens do Rio Sena. Precisa falar mais alguma coisa? Sim, precisa: foi às margens do Rio Sena e com vista para a Catedral de Notre Dame, passando por aquelas pontes onde o pessoal coloca os cadeados. Demais!

 

Falando em catedral, o passeio pelas igrejas foi uma atração imperdível. Intercalada entre os piqueniques, restaurantes e demais passeios, conhecer a Catedral de Notre Dame, da Capela da Medalha Milagrosa, da Basílica de Sacré Couer, foi revigorante em meio à beleza singular da cidade.

 

Vejam que nossos comentários já estão ficando extensos (não era essa a intenção) e nem chegamos ao turismo, digamos, “cultural”, de Paris. O passeio ao Museu do Louvre é espetacular. A Amaline e o Pablo conhecem o museu por completo, o que torna nosso tempo lá mais proveitoso. Nós que não somos tão ligados assim à arte, ficamos encantados. Impossível não se encantar. Outro destaque foi o majestoso Parque de Versalhes, onde fizemos um piquenique também, no lindíssimo Jardim de Versalhes. Emocionante passear naqueles labirintos naturais seculares, por onde a realeza francesa fazia suas festas e a Maria Antonieta passeava com as amigas. O Museu de Rodin, embora menor, não fica nada pra trás. Os jardins são lindos. Entender um pouco da sistemática que Rodin utilizava em seus trabalhos – que começavam na argila e terminavam no bronze – foi encantador.

 

 

 

 

Não poderia deixar de falar aqui dos passeios pelos rios. O cruzeiro pelo Rio Sena foi marcante, especialmente quando, na volta, fomos presenteados com um belíssimo pôr do sol, com vista preciosa da Torre. Igualmente encantador o passeio de barco pelo canal de Saint Martin, pelo qual pudemos observar a arquitetura parisiense de outros ângulos.

          

Em meio a tantos locais maravilhosos e restaurantes magníficos, ainda nos foi programado uma visita ao Divvino, onde tivemos a oportunidade de fazer um curso de vinhos com a SommelierMarina Giuberti. Uma verdadeira viagem virtual pelas regiões vinícolas francesas, com degustação de vinhos, champagnes e refinados petiscos.

 

Para finalizar, um programa que jamais faríamos sem a assessoria de Aquela Sua Viagem: passeio à Giverny, com visita à Casa de Monet, o artista que pintava os jardins de sua casa. Para chegar ao local, pegamos um trem em Paris e saltamos em Vernon, que fica a 7Km de Giverny. Em Vernon, alugamos bicicletas para chegarmos à Giverny. São 7Km de pedaladas deliciosas, com pausas obrigatórias para fotos em cenários de filmes. O trajeto é cercado de paisagens bucólicas, árvores e flores lindas. Na chegada à Giverny, o contraste com a cidade mais famosa da França nos fez pensar que estávamos a dezenas de quilômetros da capital francesa. As casinhas aconhegantes, o ambiente amistoso, os restaurantes bem decorados e harmonizados com a natureza exuberante. Por falar em restaurante, almoçamos no espetacular Les Jardin des Plumes, com vista para o jardim e córrego que corta a propriedade. Uma experiência incrível. Uma autêntica cena de filme. Confessamos que nunca imaginamos que teríamos a oportunidade de estar em um local como aquele. Após o almoço, recuperamos a bike “amiga” para ir até o Museu de Monet, apreciar os lindos jardins, córregos com peixes e a Casa do artista, que encontra-se preservada da forma como ele a deixou. Muito emocionante estar nas varandas e janelas de onde ele observava sua matéria prima: o próprio jardim, traduzido em cores e traços até hoje preservados.

 

É isso. Não tínhamos a intenção de relatar exaustivamente o passeio, detalhando tudo que vivemos. Não seria mesmo possível, como disse no início. Até porque os principais relatos dessa história residem no coração, no território da alma, tocada pelas preciosidades que encontramos na França, mas instransponíveis ao papel. Tudo cuidadosamente arquitetado e encaixado pelo casal Amaline e Pablo. Aos dois, rendemos os agradecimentos por terem ido além da questão profissional, contratual, aplicando aquilo que o ser humano tem de melhor, a emoção com amor! Fizeram por nós, como se fosse pra eles, promovendo a que, sem dúvidas, foi a melhor viagem de nossas vidas. Podem dizer, então, Pablo e Amaline, para cada um de nós, que essa foi AQUELA SUA VIAGEM. Até a próxima, se Deus permitir!!!

 

Gabriella e Leandro

 

Quer viver esse sonho?

Com Aquela Sua Viagem, você pode!

 

www.aquelasuaviagem.com.br

contato@aquelasuaviagem.com.br

Please reload

Siga
Please reload

Procurar por tags